segunda-feira, 10 de maio de 2010

Não ser só mulher, mas ser uma grande mulher.


Constantemente me deparo com a dualidade entre o tipo de mulher que eu admiro e tenho como exemplo e as mulheres que são cultuadas pela sociedade, principalmente pelos homens nos dias de hoje.

Após anos e anos de luta feminista, de gritos por igualdade entre sexos, hoje a mulher finalmente trabalha, é dona do seu próprio corpo, escolhe com quem transa, se quer ou não engravidar e o quer ou não fazer da vida. É, conquistamos a nós mesmas e também ao mundo. E isso não é papo feminista de mulher frustrada. Isso é sério, é só olhar ao seu redor. E o mais importante, fizemos tudo isso, ganhamos o mundo, sem abdicar de nenhuma das funções que nos era atribuída anteriormente. Trabalhamos, somos presidentes, governadoras, atrizes, escritoras, altas executivas e ainda assim, continuamos grandes mães, grandes donas de casa e ainda encontramos tempo para ficarmos lindas, cheirosas e bem arrumadas. Uma mulher hoje faz perfeitamente bem praticamente tudo que um homem faz (digo praticamente porque nós ainda não somos capazes de matar uma barata, ou até somos, mas fingimos que não pra deixar eles pensarem que são mais fortes e corajosos que nós). Até a arte da traição que sempre foi uma característica masculina hoje é executada com muita sutileza e malandragem pelas mulheres. Em contrapartida, tente achar um homem que consiga cuidar de um lar ou de um filho ou de sua própria aparência tão bem quanto nós. Estamos no topo do mundo, dominamos tudo, certo?
Infelizmente não. A realidade infelizmente ainda é outra. Principalmente porque aparentemente todas essas conquistas se tornam ínfimas perto de um belo par de seios (geralmente siliconizados, é claro).

Me entristece muito, notar que qualquer mulher brasileira que se destaque de alguma maneira, seja ela atríz, cantora, escritora, atleta, no final essa mulher é sempre reduzida a capa de uma revista masculina. Não sou, e nem nunca fui moralista, e não tenho problema nenhum com a nudez em capas de revista, muito pelo contrário. O meu problema é ver a mulher ser reduzida a somente isso, somente aparência. Um simples objeto de prazer enquanto ela pode ser muito mais que isso, se tornar um símbolo sexual enquanto ela pode ser um exemplo pra milhões de outras mulheres que querem ser grandes como ela. Ter adjetivos como 'gostosa', 'peituda', enquanto ela pode ser considerada 'inteligente', 'admirável'. É deprimente ver os homens ignorando todas essas maravilhas numa mulher, e mais deprimente ainda ver que muitas mulheres aceitam e se submetem a esse tipo de pensamento.

Quero viver em um dia onde a primeira pergunta que alguém faça a uma mulher bonita e bem sucedida não seja "e aí, quando posa nua?" e sim "Qual é sua história? Quanto você lutou pra chegar até aqui?". O dia em que isso acontecer, aí sim acho que a luta feminista terá alcançado seu auge, e as grandes mulheres que tanto conquistaram minha admiração e inspiram a todo o mundo vão enfim ter paz.

Obs: Foto do ensaio da Fernanda Young pra playboy, porque ela sim é linda, inteligente, brilhante, gostosa, enfim UMA GRANDE MULHER. E só não foi um sucesso de vendas porque tem muito homem idiota e vazio nesse país.

6 comentários:

Pensamentos em (des)ordem disse...

estamos no caminho e na luta pra isso!
mais e mais conquistas para as mulheres!

ivbrll disse...

eu não só acho como SEI que existem gostosas E inteligentes por ae. Até porque conheço algumas.
E a mulher hj em dia só é um "mero pedaço de carne" como algumas d vcs mesmas insistem em se reduzir, SE quiserem. Não que eu ache q as mulheres devam dominar o mundo ou q seja os homens, só acho q deve haver mais respeito entre ambos e parar com essa competição idiota d kem é melhor e pq é melhor.

Diego Rodrigues disse...

Fogosa Paula;

Obrigado pela visita e comentário no blog dos Vagabundos!

Como adentro (com todo o respeito) ao que trataste nesse post, te deixo o link do que escrevi explicando o porquê de eu ter comprado a Playboy da Fernanda Young:

http://vagabundos-iluminados.blogspot.com/2009/11/eu-comprei-playboy-da-fernanda-young.html

Beijocas pra ti!

A.C disse...

Concordo com absolutamente tudo o que você escreveu ai. O grande problema da sociedade são os machistas imbecis que acham que tudo se resume ao exterior, o dia que eles enxergarem que nem só de peitos e bunda são feitas as mulheres, as coisas vão ter um rumo totalmente diferente!

Daniel Carvalho disse...

Acho que seria injusto se todas as mulheres tivessem muito cinteúdo. Seria covardia. Como você mesma disse, elas são lindas, cheirosas e doces... Se forem ainda por cima inteligentes, a tão procurada perfeição foi então encontrada. Eu particularmente sou fã das mulheres. Gosto muito. Principalmente mulheres tão próximas da perfeição como você meu amor. Te amo!

DANIEL disse...

è paula agora os churros também acompanham blogs ... o seu a partir de agora, por exemplo... bj